Cuidados

Saúde emocional do seu cão: por que você deve prestar atenção a estes sinais.

dog-vibe-saude-emocional-do-seu-cao

Pets são criaturas amorosas e que enchem nossas vidas de alegria e todo dono de pet sabe que eles possuem sentimentos assim como os nossos. Os animais podem possuir vida emocional tão rica e complexa quanto a nossa.

Convivendo com nossos amigos de quatro patas podemos perceber a mudança de comportamento que eles têm quando sentem ciúmes, ansiedade, raiva ou outros sentimentos de fácil identificação.

No entanto, pouca gente sabe que os animais domésticos também possuem uma saúde emocional e que eles também demonstram sinais quando algo não vai bem nesse âmbito. E assim como nos humanos, as doenças e problemas emocionais podem afetar todo o estilo de vida, comportamento e até mesmo saúde física dos nossos melhores amigos.

Dependendo do tipo do sofrimento emocional, as consequências podem ser mais graves: como alergias, gastrites, emagrecimento, obesidade, depressão e até o óbito. Há muitos sinais que se observados e tratados precocemente inibem problemas maiores futuros. Por isso é importante entender um pouco mais sobre o assunto para ajudar o seu pet caso ele precise de você.

Conheça os tipos de transtornos emocionais que podem ser desenvolvidos pelo seu cão ou gato e entenda como identificar os sintomas no seu pet. Veja também o que pode estar causando esses transtornos e como eliminá-los.

Sinais que podemos identificar

Um dos sintomas de mais comuns entre os animais doméstico é o tédio​. Sim, os nossos amiguinhos podem ficar entediados e isso desencadeia uma série de complicações. O tédio pode parecer simples e inofensivo mas ele é desencadeado pelo sedentarismo e pelo isolamento social.

Você já deve ter presenciado a triste cena de ver um cachorro servindo como cão de guarda em algum ambiente. Esse animal fica sozinho por dias e até semanas, muitas vezes preso à correntes e com a mobilidade reduzida.

Isso abala profundamente o emocional desse cachorro. Ele pode se tornar depressivo e a agressividade surge como um mecanismo instintivo.

Uma cena mais comum e provavelmente mais próxima da realidade de muitos tutores de pets é a seguinte: sair para trabalhar e deixar o melhor amigo sozinho no apartamento o dia inteiro. Esse hábito também influencia negativamente a saúde emocional do seu pet.

Por isso é importante brincar e interagir com ele ao máximo quando se está em casa, para compensar as longas horas de ausência.

O tédio e o isolamento social causa alterações no comportamento de cães e gatos, como roer móveis e objetos, distúrbios de apetite, agressividade, apatia, correr atrás da própria cauda, latir insistentemente e até mesmo automutilação.

Outras causas que provocam depressão nos animais domésticos

Quando um animal perde seu dono: semdúvidas esse acontecimento afeta diretamente a integridade emocional dos pets. Um falecimento na família é algo traumático até mesmo para cachorros, gatos e outras espécies de animais domésticos. Infelizmente muitos animais vêm a óbito dias depois de seus donos partirem.

Mudança súbita de ambiente: As mudanças bruscas afetam o emocional com reflexos no físico de cães e gatos. Isso envolve mudanças de residência ou mesmo de local de convivência. O organismo dos pets se acostuma assim como o nosso aos hábitos e rotinas. Mudar um ambiente é mudar toda uma lógica de funcionamento e previsibilidade do corpo e isso causa ansiedade e outros distúrbios emocionais.

É importante ter cuidado com modificações bruscas nas rotinas dos nossos pets. Se for necessário alterações que elas sejam feitas de maneira cautelosa e progressiva.

Chegada de membros novos na família: Assimcomo as crianças, os pets também são impactados pela chegada de um irmãozinho, seja ele um bebê ou até mesmo um outro pet. Ciúmes, mudanças fortes de hábitos, indisposição e falta de apetite são alguns dos sintomas mais comuns. Quem nunca presenciou o próprio cachorro fazendo xixi em local diferente só pra chamar a atenção das visitas? Imagine o que ele não pode fazer ao sentir que está perdendo espaço e atenção para um novo membro da família.

Como evitar ou reverter um caso de problemas emocionais nos animais

Assim como nos seres humanos, os distúrbios emocionais são passíveis de serem identificados e tratados. Para isso é preciso observar com atenção as mudanças de comportamento de nossos amigos de quatro patas. Há sinais que podemos notar para identificar se há algo de errado.

É preciso investigar o ambiente que o animal vive e as rotinas da casa e hábitos do tutor, pois muitas vezes os problemas são causados pela repetição de uma rotina prejudicial à saúde dos pets.

O melhor sempre é procurar um profissional veterinário para diagnosticar e prescrever o melhor tratamento. As formas de tratamento são as mais diversas e variadas, dependendo da gravidade e situação de cada pet. Há serviços no mercado oferecidos por profissionais a fim de minimizar causas e auxiliar nos tratamentos.

Muitos donos não têm tempo ou espaço suficientes para ter um tempo de qualidade com o pet, logo os passeios com os animais e a socialização em hotéis para cachorros são algumas das alternativas.

Temos também brinquedos específicos que incentivam a movimentação e distração dos animais. Para os gatos, que são conhecidos por serem mais reservados e não gostarem de socialização com outros peludos, tem opções como os arranhadores que permitem a diversão e manutenção da saúde psicológica do animal sem demandar muito espaço.

Para os mais sociáveis é considerável ainda a adoção de um novo amigo, desde que este seja integrado à família gradualmente e de forma a não causar desconforto aos que já habitam a casa há um tempo… Assim, ambos terão companhia pra brincar juntos e não ficarão sozinhos ou entediados.

Em resumo, podemos observar e sentir quando algo não vai tão bem com nosso melhor amigo. Afinal, ele vive conosco e convive diretamente com nossos hábitos. Tudo que fazemos ou alteramos em nossas vidas os afetam diretamente. E tudo que eles sentem pode ser notado e investigado precocemente para evitar que evolua para um quadro mais grave.

Eles cuidam muito bem de nós e influenciam em nossa própria saúde psicológica, com companheirismo e muita alegria. Nada mais justo do que nós também cuidarmos da saúde deles.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *