Cuidados

Saiba quais as principais doenças de pele em cachorro

Você sabia que doenças de pele em cachorro podem se manifestar, mesmo que seu animal esteja com o pelo bem cuidado? Ainda que essa parte pareça muito macia e brilhante, não significa que a pele do cão está saudável.

Além de cuidar da pelagem do seu pet, você precisa ficar atento ao que acontece abaixo dela. Por isso, neste post vamos falar sobre as doenças que podem afetar a pele dos cães. Você conhecerá algumas doenças de cachorro e seus sintomas e aprenderá a identificar esses problemas no começo para procurar a ajuda do veterinário. Acompanhe!

Sobre as doenças de pele em cachorro

As doenças de pele em cachorro podem surgir por conta de diversos fatores. Por causa disso, elas também variam em gravidade e nem sempre são um problema difícil de combater. Na verdade, muitas vezes o tratamento é simples.

O que acontece é que essas manifestações precisam ser identificadas o quanto antes para evitar que se estendam pelo corpo do animal. Além disso, quando não tratadas, elas podem gerar complicações — aí sim, será necessário realizar um tratamento mais intensivo.

Por isso, sempre verifique o que está acontecendo abaixo do pelo. Quando for dar banho e penteá-lo, observe as características da pele para identificar os primeiros sintomas de uma possível condição.

Alguns tipos de doença de pele canina

Para que você saiba se a pele do seu cachorro está saudável, é importante conhecer os sintomas que as doenças desencadeiam. Assim como esses problemas têm origens diversas, as reações que provocam também são diferentes.

A seguir, veja algumas doenças de pele em cachorro que ocorrem com mais frequência. Leia atentamente para conhecer cada uma delas e aprender a identificar esses quadros.

Parasitas

A mais comum entre as doenças de cachorro é a presença de parasitas na pele, como as pulgas e os carrapatos. Esses visitantes indesejados sugam o sangue do pet e causam coceira, vermelhidão e pequenas feridas. Em alguns casos, transmitem verminoses e doenças.

Diante da presença desses intrusos, é preciso dar um banho com produtos específicos, assim como limpar o ambiente. Para evitar novas infestações, é recomendado usar remédios, coleiras especiais ou sprays antipulgas e carrapatos.

Sarna

A sarna é provocada por um ácaro que se aloja na pele do cachorro. Apresenta-se em dois tipos.

Sarna demodécica

O principal sintoma dessa possibilidade é a queda de pelo próximo aos olhos do cachorro. Ela também desencadeia coceira e pode se espalhar pelo corpo do pet. Esse tipo de sarna não é transmitido para os seres humanos.

Sarna sarcóptica

Mais grave que o primeiro, esse tipo de sarna tem como sintomas o prurido, a perda de pelo, a formação de crostas na pele e a vermelhidão. Essa doença é considerada uma zoonose porque é transmissível para os seres humanos.

Micose

É causada por fungos e pode ser transmitida tanto para seres humanos quanto para outros animais que convivem com o cão.

O sintoma principal da micose é uma lesão avermelhada que leva à perda do pelo e vai aumentando de tamanho com o tempo. Essa é uma das doenças de pele em cachorro que se manifestam quando o sistema imunológico está baixo.

Piodermite

Essa é uma complicação que acontece quando outras doenças de pele em cachorro surgem e não são tratadas do jeito certo. A piodermite é uma infecção provocada por bactérias e que manifesta lesões caracterizadas por pele avermelhada com a presença de pus.

Dermatite alérgica

A dermatite alérgica pode ser provocada até mesmo por produtos que você usa para dar banho no seu pet. Também é desencadeada pelo contato com substâncias químicas, como produtos de limpeza — por isso, mantenha-os longe! Seus principais sinais são a coceira, a pele avermelhada e as inflamações.

Alergia canina

Semelhante à dermatite, é causada quando o animal entra em contato com uma substância alergênica. Isso varia para cada pet, então é uma das mais diversas doenças de cachorro.

Os sintomas frequentes são os olhos vermelhos e marejados e a coceira em certas áreas. Graças ao atrito, a pele fica irritada e descama. Normalmente, o tratamento pede uma mudança na alimentação.

Cistos

Os cistos se formam sob a pele devido a um acúmulo inadequado de células. O principal sintoma é a protuberância que surge entre a pelagem, mas nem sempre é algo que causa sensibilidade no animal.

A busca por um veterinário é urgente porque esse é um tumor que pode ser benigno ou cancerígeno. Como é mais frequente em animais idosos, o tratamento depende da avaliação de cada quadro.

Fungos

As dobras dos cães, como axilas e virilhas, podem ficar úmidas em situações como após o banho. Isso cria o cenário perfeito para o surgimento de fungos. Os sintomas incluem marcas escuras e arredondadas, bem como feridas e vermelhidão.

Normalmente, o uso de um shampoo especial já resolve, mas talvez seja necessário recorrer aos medicamentos. Para evitar novas infecções, todos os objetos do companheiro de quatro patas devem ser esterilizados.

Calos

A princípio, os calos formam fazem parte de uma opção inofensiva entre as doenças de cachorro. No entanto, exigem atenção porque podem dar origem a úlceras e sangramentos.

Eles são mais comuns em áreas como o cotovelo e as patas e são formados por locais ressecados e sem pelos. Normalmente, são causados pelo contato excessivo com superfícies duras e pela sensibilidade da pele. O uso de cremes de hidratação e de medicamentos ajuda a conter o problema.

Feridas diversas

A princípio, talvez pareça que um machucado comum é uma situação à parte. Porém, as feridas na pele canina podem desencadear outras doenças, como a proliferação bacteriana.

Se o seu cão estiver machucado, por qualquer motivo, é importante garantir a limpeza do ferimento e os curativos. Se for o caso, é preciso fazer uma sutura e cuidar muito bem da cicatriz. Somente assim é possível fechar a porta para outros quadros.

Seborreia

A seborreia é uma inflamação que ocorre no couro cabeludo dos cães. Aparece mais na cabeça, no peitoral e nas patas e é causada pela produção excessiva de sebo.

Os sintomas incluem “caspas” e crostas, além de mau cheiro. A princípio, é uma das doenças de cachorro que não gera grandes problemas. Sem o tratamento correto, entretanto, infecções secundárias se desenvolvem. Como é sempre desencadeada por uma doença-base, o veterinário identifica a causa para realizar a intervenção adequada.

Tratamento para doenças nos cães

Apenas o profissional pode identificar o tipo de doença de pele e indicar o cuidado certo. Em alguns casos, é recomendado somente usar um shampoo específico; em outros, são receitados antifúngicos, anti-inflamatórios ou antibióticos. Então, é importante identificar os problemas logo no começo para que o tratamento seja o mais simples.

As doenças de cachorro são muito comuns, por isso você precisa estar atento ao que acontece com o seu pet. Não se esqueça de, sempre que perceber algo diferente na pele dele, procurar um veterinário para evitar que um problema de fácil solução se torne uma complicação mais grave.

Continue aprendendo a cuidar bem do seu pet com as nossas dicas. Assine a nossa newsletter e não perca nenhuma novidade!

Posts Relacionados

7 comentários em “Saiba quais as principais doenças de pele em cachorro

  1. OI MEU NOME É MARCOS E TENHO UM AMERICA BULLY -02 ANOS 34KG
    O PROBLEMA É Q SURGIRAM UMAS CROSTAS ,DESCAMATIVA,PRURIGINOSAS,DEAUTO-RELEVO Q PERDE O PELO NA ÁREA ACOMETIDA NO DORSO E RABO
    FOMOS AO VETERINARIO Q FEZ UMA BIOPSIA (+) P STAFIFOCOCCUS PRESCREVEU CEFALEXINA E BANHOS C CLOREXIDINA
    O CAO MELHOROU ,PORÉM, A DOENÇA RETORNA, LEVAMOS NOVAMENTE E INSISTE EM DIZER Q É FOLICULITE.
    CACHORRO TEM 02 BANHOS SEMANAIS COMFORME ORIENTAÇÃO C SHAMPOO DE CLOREXIDINA ,
    MORA EM APARTAMENTO LIMPO, TEM 03 PASSEIOS DIARIOS ,, FAZ 02 REFEIÇOES DIARIAS ( FRUTAS E RAÇAO PREMIER )
    FATO! O PROBLEMA NÃO DESAPARECE

    1. Avatar Josi disse:

      Leva a um dermatologista e veja se os pais têm a mesma enfermidade,pois o seu pode ter sarna demodercica que é hereditário. Pede raspagem e exames para isso. Veterinário sem especialidade é a mesma coisa quando tu tá se coçando e vai no clínico. Ele vai tratar, mas não vai investigar ou dar um diagnóstico preciso

  2. Avatar Paulo Araujo disse:

    Pessoal,
    Meu cão da raça YorkShire, apresentou por vários anos uma coceira na pele e com odor bem expressivo. Fiz de tudo pra tentar resolver o problema levei em dermatologistas veterinários, foram apresentados vários medicamentos com base corticoide, mas nada se resolvia. Ele apresentava esse odor e coceira principalmente quanto sofria de estresse, como ficar só. E quanto mais banho dava mais o odor aparecia, apresentando feridinhas na pele.
    Até que levei em uma Veterinária em Salvador-BA, Dra. Flávia Lima, em Vilas do Atlantico. E a mesma nos receitou uma simples opção. Dar banho com o shampoo Clear Men Anticaspa (controle e Alívio da Coceira) com Eucalipto e Melaleuca. Esse simples shampoo humano, resolveu de uma vez por todas o problema de nosso cãozinho Theo.

    1. Nuno Nuno disse:

      Oi Paulo! Obrigado pela ótima dica! É fato que muitos produtos humanos podem ajudar em certos casos e quando é indicado por um profissional é mais seguro ainda! Alguns sabonetes como de enxofre e antissépticos ajudam muito também e com custo muito baixo. 🙂

  3. Avatar Vângela Silva Queiroz disse:

    Nem sempre levo minha pug pra tomar banho no Pet Shop por conta do meu trabalho que me prende o dia inteiro; então dou banho em casa mesmo. Mas percebo que não consigo seca-lá adequadamente e tenho medo de dar alguma coisa na sua pele. Uiii… Deus me livre. Valeu pela postagem… vou ficar de olho.

  4. Avatar Lorena Lisboa disse:

    Não conhecia algumas dessas doenças de pele.
    Ficar sempre de olho nos peludos e crucial.

  5. Avatar Raquel disse:

    Já passamos por isso aqui em casa. Laka tinha uma alergia que o pelo caía e também ficava cheia de machucados. Depois de muitos remédios, descobrimos que gera alergia alimentar a frango. Agora ela está super bem ! Esse artigo deu dicas muito valiosas pra quem passa pelo problema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *